Tão admirável quanto sua obra – 7 curiosidades sobre George Orwell

Há mais de 70 anos e poucos meses após o lançamento de 1984, seu mais famoso livro, George Orwell nos deixava. Best-seller, sua obra compõe inúmeras listas dos mais vendidos ainda nos dias de hoje, o que muito se deve à pertinência dos escritos de um autor muito a frente de seu tempo.

Algumas curiosidades sobre a trajetória de George Orwell demonstram que seu brilhantismo já era evidente em tempos de infância e juventude, e que experiências pessoais e profissionais viriam a influenciar toda a sua vida e obra. 

Continue a leitura e conheça um pouco mais sobre o escritor:

1. George Orwell não é seu verdadeiro nome

Nascido Eric Arthur Blair, o pseudônimo pelo qual o conhecemos foi adotado logo no primeiro livro, Na Pior em Paris e Londres (Down and Out in Paris and London, 1933). O sobrenome deriva do Rio Orwell, localizado em território inglês.

2. Embora de família humilde, estudou em uma das escolas mais consagradas da Inglaterra

A família do jovem Eric era considerada classe média baixa. Sua inteligência, porém, lhe rendeu aprovação em Winchester e Eton, colégios de renome onde estudavam membros da elite inglesa.

Ele optou por Eton, onde lhe foi concedida uma bolsa de estudos. Por lá, teve aulas com outro famoso autor de ficção científica: Aldous Huxley (“Admirável Mundo Novo”, “A Ilha”).

3. Não seguiu o ensino superior e entrou para o exército

Filho de um oficial britânico, Orwell se alistou na Polícia Imperial da Índia, onde serviu por cinco anos. Nada positiva, a experiência deu origem aos ensaios Shooting an Elephant e A Hanging, além de uma de suas primeiras obras publicadas, Burmese Days. Todos denunciavam a crueldade do Império Britânico. 

4. A vida marginal proposital de George Orwell

Foi em 1927 que George Orwell decidiu abandonar a carreira militar para se tornar escritor. Determinado a escrever sobre a opressão sistêmica do Estado, ele aceitou subempregos e conviveu com pessoas em situação de rua, para compreender sua realidade.

Inúmeras fontes afirmam que, neste início de carreira, o autor chegou a passar fome. Em situações emergenciais, porém, Orwell podia contar com o apoio de amigos e familiares.

5. A origem de seu posicionamento político

George Orwell tornou-se socialista “mais por desgosto pela maneira como os setores mais pobres dos trabalhadores industriais eram oprimidos e negligenciados que por qualquer admiração teórica por uma sociedade planificada”, segundo palavras do próprio autor. Ele chegou a integrar o Partido Operário de Unificação Marxista, grupo revolucionário em nome do qual lutou na Guerra Civil Espanhola.

6. Uma brasileira em sua vida

Segundo o biógrafo Jeff Meyers, uma brasileira deu um “empurrãozinho” para que o primeiro livro de Orwell, aqui já mencionado, fosse publicado. A gaúcha Mabel Lilian Sinclair Fierz teria convencido o editor Leonard Moore a seguir com a publicação. 

Filha de um casal inglês, a jovem havia se mudado para a Inglaterra aos 17 anos. Diversas fontes afirmam que Mabel e Orwell eram mais que amigos, mantendo, também, uma relação amorosa. 

7. George Orwell seguiu com a adoção do filho, apesar da morte da esposa

Em 1944, Orwell e sua então esposa Eileen Blair decidiram adotar uma criança cuja mãe não tinha condições para sustentá-lo. Tragicamente, Eileen faleceu naquela mesma época. Ainda assim, o escritor deu sequência à adoção, tornando-se pai dedicado de Richard Blair.

Leia também:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =